Publicado por: sdaviseu | 30 de Março de 2013

Lisboa: Igreja precisa de cortar com feridas do pecado para viver a «santidade», diz cardeal-patriarca

D. José Policarpo destaca importância do celibato dos sacerdotes e elogia Papa Francisco

D. José Policarpo
Cardeal Patriarca de Lisboa

O cardeal-patriarca de Lisboa abordou na missa crismal, a que presidiu na Sé, os desafios que se colocam ao sacerdócio, destacando a importância do celibato e da “santidade” para evitar “escândalos”.

“As infidelidades a esta consagração virginal, no celibato, estiveram no centro dos recentes escândalos do clero. O celibato dificilmente se aguenta concebido apenas como privação”, alertou D. José Policarpo, na sua homilia, enviada à Agência ECCLESIA.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa salientou que as reflexões dos cardeais que participaram no último  Conclave apontaram para a necessidade de cortar com o passado recente, de uma “Igreja ferida pelos pecados de tantos sacerdotes, que escandalizaram o mundo”.

Os responsáveis católicos presentes em Roma – acrescentou – concordaram que a mudança de paradigma deve assentar primeiro no “testemunho de santidade e de vida entregue à Igreja”, que “a maior parte” do clero continua a dar ao mundo, em “fidelidade a Cristo e aos irmãos”.

Para o cardeal-patriarca, o momento atual deve levar os sacerdotes a entregar-se ao “entusiasmo pela santidade, exigida pelo seu ministério”, de buscarem “conversão” e de tem “confiança na misericórdia” de Deus e da Igreja, porque tal como ficou claro durante e depois do Conclave, “a Igreja será sempre o lugar de misericórdia”.

D. José Policarpo considera que “o Papa Francisco”, depois da sua eleição, “já deu sinais de querer conduzir a Igreja para esse tempo de esperança, de autenticidade e simplicidade evangélica”.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa acredita que o sucessor de Bento XVI vai ajudar a Igreja e o clero “não apenas a sanar os pecados, mas a evitá-los, na consciência clara de que o sacerdócio é uma exigência de santidade”.

Falando diretamente para os padres que participaram na missa crismal de Quinta-feira Santa, o cardeal-patriarca de Lisboa desafiou-os a “neste Ano da Fé, aceitarem com firmeza” as exigências da sua missão, enquanto “agentes da salvação” dos povos, por intermédio de Cristo.

D. José Policarpo destacou a importância da salvaguarda do celibato, da prática da caridade para com as comunidades paroquiais e da convivência fraterna entre os sacerdotes, apontando que “a mentira na maneira de amar pode significar a mentira de toda a vida”.

“O nosso sacerdócio não é só função, é anúncio desse amor definitivo que Cristo mereceu para nós, no seu sacrifício pascal”,concluiu.

O Patriarcado de Lisboa transmite em direto pela televisão e internet algumas das celebrações que decorrem na sé desde hoje até Domingo de Páscoa.

As celebrações podem ser seguidas pela internet na página do Patriarcado e no portal Sapo, e na televisão pelo novo canal 210021, disponível para os subscritores do serviço ‘Meo’.

JCP/OC | in agência ecclesia

Foto: www.zapping-tv.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: