Publicado por: sdaviseu | 15 de Abril de 2013

Misericórdias pedem diálogo ao Governo

Assembleia geral deixou preocupações por causa da crise e elogios ao Papa Francisco

O presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP) admitiu escrever “ao primeiro-ministro, ao presidente da República e ao Tribunal Constitucional” se o Ministério da Saúde não cumprir os acordos estabelecidos.

Manuel Lemos acusou os responsáveis do setor de “total falta de diálogo e de compreensão” e de “não querer cumprir os compromissos assumidos”, deixando as instituições “incapazes de desenvolver a sua atividade”.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o presidente da UMP realçou que “apesar dos esforços” e da tentativa de fazer “mais com menos”, “parece que existem dois governos”.

A preocupação centra-se em particular na abertura da rede de cuidados continuados, para a qual o Ministério da Saúde diz não ter dinheiro, enquanto as Misericórdias afirmam ter ideias “para trocar com o Governo”, procurando que no quadro de “grande exigência” que se vive se possam abrir as unidades de saúde.

“Há mais de mil pessoas em lista de espera”, lamenta Manuel Lemos, o qual assinala ainda que “existe uma dificuldade crescente das Misericórdias em responder à extensão da crise social”.

O presidente da UMP sublinha que “há um contrato assinado com o Estado” e que “há dinheiro” porque “são públicas as notícias dos médicos que ganharam milhões e que alguns hospitais continuam a funcionar e não têm doentes”.

Manuel Lemos acrescenta que os propósitos primeiros da UMP são “éticos-morais” e só depois são “financeiros”, porque “não se pode colocar as pessoas na rua”.

O presidente deste organismo revelou também que na assembleia geral da UMP, realizada este sábado em Fátima, foi “aprovada por unanimidade e aclamação uma saudação ao Papa Francisco que acentuou a opção preferencial pelos pobres”, sublinhando que o novo pontífice “representa um suplemento de alma e uma força para se continuar a fazer o trabalho”.

A UMP coordena cerca de 400 Santas Casas de Misericórdia em Portugal, ligadas à Igreja Católica, e apoia a fundação e recuperação de organismos similares em Angola, Moçambique, Timor e São Tomé e Príncipe, bem como nas comunidades de emigrantes.

LFS | in agência ecclesia

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: